A atividade de transportar traz desdobramentos que demandam a criação de rotinas capazes de equilibrar os imperativos das viagens com os cuidados com o meio ambiente e o social. Por isso, a preocupação com o desenvolvimento sustentável marcaram a trajetória da Federação dos Transportes – FETRANS desde a sua origem.

Em janeiro de 1997, a Federação iniciou a implantação do Projeto EconomizAR nos Estados do Ceará, Piauí e Maranhão, lançando a semente do Núcleo Socioambiental. O projeto, com intenção educativa, visava conscientizar motoristas, mecânicos, empresários de ônibus e caminhoneiros sobre a importância do uso racional dos combustíveis para diminuir os impactos de gases tóxicos na atmosfera. Em 2007, esse projeto foi substituído na Federação, pelo Despoluir – Programa Ambiental do Transporte incrementando as ações junto à comunidade transportadora.

A boa aceitação do trabalho revelou a possibilidade de ampliar as iniciativas ambientais e sociais da Federação. Pouco a pouco, ideias de valorização do patrimônio ambiental e da dignidade humana foram germinando, fazendo da Federação um ponto de convergência das ações socioambientais entre os transportadores do Ceará, Piauí e Maranhão. Além disso, a Federação incrementou seus trabalhos junto às entidades ligadas ao meio ambiente e à cidadania, oferecendo auxílio para ampliação de construções, publicações, participações em campanhas, estágios e outros. Também, pessoas físicas são homenageadas por conta de seu envolvimento nessas questões. Em 2001, a criação da Medalha Fetrans de Transporte de Passageiros para homenagear personalidades engajadas com o transporte responsável foi um marco do compromisso socioambiental da Federação.

Em 2009, quando o Núcleo Socioambiental foi incorporado à sua organização, a Federação dos Transportes já disseminava  “o compromisso permanente dos empresários em adotar um comportamento ético e contribuir para o desenvolvimento econômico, melhorando simultaneamente, a qualidade de vida de seus empregados e de suas famílias, da comunidade local e da sociedade como um todo”, como definiu o Conselho Mundial para o Desenvolvimento Sustentável em 1998.

Uma das ações de maior impacto no apoio à responsabilidade socioambiental foi o lançamento, em 2002, do Premio Melhoria da Qualidade do Ar, que mobilizou dezenas de empresas de ônibus em favor de rotinas ecologicamente corretas. Depois dele, em 2006, a Federação criou o Prêmio de Responsabilidade Socioambiental, de alcance maior, estimulando e divulgando as companhias que assumiram o compromisso com um desenvolvimento capaz de suprir as necessidades do presente sem, contudo, prejudicar as capacidades das gerações futuras em suprir suas próprias necessidades.